Vila Flor Palace


Datada de meados do século XVIII, a Quinta de Vila Flor representa um importante valor patrimonial, no qual os jardins assumem um papel fundamental como legado em termos de traçado paisagístico da arte portuguesa.
Nas memórias Paroquiais realizadas para a Chorografia Portuguesa, em meados do século XVIII os jardins do Palácio de Vila Flor mereceram uma descrição particular sem paralelo com outra casa em Guimarães.
Tratando-se de um caso singular, em termos de transposição para a arquitectura civil do traçado de desenvolvimento linear do escadório, o conjunto dos três grandes terraços enquadrados por balaustradas de pedra com pináculos e estátuas ligados por escadas, sugere claramente o escadório do convento de S. Maria da Costa.
Estes Jardins prolongavam-se lateralmente para uma área de pomar/horta, integrado no conjunto dos espaços de recreio da Quinta.
Relativamente ao traçado original os jardins mantêm o seu desenho primitivo, ao contrário da área de horta/pomar que foi sendo desvirtuada, até que mais recentemente deu lugar aos viveiros municipais. O programa estabelecido de reabilitação do Palácio e da construção de um centro cultural permitiu animar toda a área potenciando a utilização dos espaços exteriores. Tratou-se pois da oportunidade de requalificação de todo o conjunto patrimonial bem como da sua respectiva animação, facto de grande interesse a nível local e regional.

Vila Flor Cultural Centre


Equipado com dois auditórios, quatro salas de reuniões, área expositiva, restaurante, café concerto, parque de estacionamento e jardins, o Centro Cultural Vila Flor permite reforçar e alargar o projecto cultural e socioeconómico da cidade de Guimarães e de toda a região envolvente, oferecendo condições ímpares para a realização de qualquer evento.
Os auditórios, versáteis por natureza, e os seus magníficos foyers, estão vocacionados para responder às mais variadas solicitações, desde Congressos, Seminários, Palestras ou Colóquios. Com 800 lugares, no caso do Grande Auditório, ou cerca de 200, no caso do Pequeno Auditório, constituem a solução ideal para quem procura um espaço flexível e de qualidade.
Para a realização de conferências, reuniões de trabalho, acções de formação, lançamentos de produtos, ou outros eventos, o Centro Cultural Vila Flor oferece quatro salas, três das quais estão preparadas para tradução simultânea em 2 línguas, dotadas de condições técnicas singulares, que incluem a mais recente tecnologia disponível no mercado, nomeadamente ao nível de telecomunicações e audiovisuais.

HOW TO ARRIVE

From the south - A1 motorway north, in the direction of Oporto » A3 motorway from Oporto to Braga, in the direction of Vila Nova de Famalicão » A7 motorway to Guimarães

From the north - A3 motorway from Valença, in the direction of Braga » A11 to Guimarães

Once in Guimarães: Leaving the toll-booth area of the motorway, you will come upon a round-about. Continue straight on, in the direction of the city. At the end of this road, follow the road signs indicating the Hospital. On your right, you will see the large Guimarães Shopping Centre. Continue straight on (no longer following the indications to the Hospital); the road is called Avenida Conde de Margaride. At the top of this avenue are traffic lights, and all traffic must turn right onto the Rua Paio Galvão street, in the direction of the lovely Praça do Toural square. Continue going straight on and quite soon there is, to the right, the Avenida Dom Afonso Henriques. Take this one-way street up to the Vila Flor Cultural Centre. It is very near the top of this avenue, on the left-and side. You may be able to see the Palace and the gardens approaching as you are driving up Avenida Dom Afonso Henriques.

For those of you arriving in Guimarães by rail, the Vila Flor Cultural Centre is 100 metres from the train station. Exit the station to your left and walk a very short distance until you reach the Avenida Dom Afonso Henriques, where you turn right.

GPS Coordinates
N 41.43695 (Latitude)
W (-)8.29554 (Longitude)